fumo.jpg

Fumo e Implante

Sabemos que o uso de cigarro provoca muitos males ao nosso organismo e  não somente aos pulmões.

Em relação à nossa boca, os estudos mostram uma relação grande com o câncer de boca, doença periodontal e outras doenças, mas também no sucesso da colocação dos implantes.

Estatisticamente, o uso de cigarro dobra o numero de problemas com implantes: as chances de não haver sucesso na colocação é o dobro do que numa pessoa que não fuma.

 

Não se sabe ao certo qual a razão fundamental pela qual o fumo provoca um risco tão alto, mas os estudos mostram que fumantes apresentam mais placa bacteriana do que não-fumantes ( um dos motivos seria que cuidam menos da higiene oral que os não fumantes ) e registram a questão de a defesa do organismo ser menor, já que a nicotina prejudica a irrigação sanguínea em volta dos dentes, dificulta a cicatrização após cirurgias, aumenta a perda do osso alveolar (que é aquele osso que fica em volta dos dentes) e diminui em muito a chance de um enxerto ósseo dar certo.

O correto para quem fuma é suspender por completo o hábito de fumar, mas para quem quer colocar implantes o ideal é que a pessoa suspenda o uso do cigarro uma semana antes da colocação dos implantes e mantenha suspenso por 2 meses, que é o período principal para a cicatrização do osso em volta dos implantes. Pode parecer irreal para quem fuma todo dia, mas biologicamente é o ideal.

Então, basicamente é isso: para quem fuma, a chance de um implante não dar certo é o dobro em relação a de uma pessoa não-fumante e que caso se pretenda mesmo fazê-lo o ideal é que pare de fumar uma semana antes e que continue assim  até, no mínimo,  dois meses depois da colocação dos  implantes.